Faltam

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

O EVENTO

Realizado anualmente desde 2002, o Congresso Brasileiro do Agronegócio (CBA) já faz parte da agenda dos principais formadores de opinião e dos executivos que atuam no agronegócio brasileiro.

Em sintonia com os acontecimentos e aprendizados recentes, a Abag promoverá a 19ª. edição do CBA no próximo dia 03 de agosto, este ano apenas no formato ONLINE, sob o tema Lições para o Futuro, uma ampla discussão sobre o peso geopolítico que o Brasil tem no campo da segurança alimentar e energética, a nossa fragilidade logística, a importância da preservação do meio ambiente, a necessidade de mecanismos financeiros eficientes e as consequências disso tudo para a economia brasileira.

LICÕES PARA O FUTURO

Desde a Segunda Guerra Mundial e a criação da Organização da Nações Unidas (ONU), a pandemia do Covid-19 significa a pior crise global da história mundial.

Os seus impactos econômicos podem provocar uma recessão sem precedentes. Decretado em 11 de março último, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), esse evento dominou discussões sobre a ordem da segurança de saúde e alimentar.

Em risco, a comunidade internacional terá de ser solidária para evitar o efeito nefasto dessa enfermidade, diante da dramática queda no Produto Interno Bruto (PIB), renda e emprego em escala global.

Nesta análise agregam-se três aspectos relevantes: o estado de comorbidade que afeta uma parcela da população, as mudanças climáticas com a poluição atmosférica e o descuido sanitário na produção alimentar.

O AGRO BRASILEIRO E A CRISE GLOBAL

Na agricultura brasileira, a crise provocada pela pandemia pode ser discriminada no curto prazo entre dois grupos, cujos resultados vão em sentidos inversos, de pró-ganhadores e pró-perdedores.

Dentre os primeiros, estão os produtos voltados para exportação, como grãos e carnes, com mercados beneficiados frente a desvalorização do real perante o dólar. Com isso, as suas competitividades cresceram bastante nas exportações.

Em segundo, aparecem o etanol e os gêneros perecíveis como frutas, legumes, verduras e flores, mais dirigidos para um consumo doméstico em queda, devido ao regime de isolamento imposto aos cidadãos.

O importante será analisar as direções a ser mantida em andamento por esse jogo de negócios. As tomadas de decisões deverão considerar as forças no mercado para cada cadeia produtiva, se para expansão, estabilidade ou retração das suas atividades.

MERCADO FINANCEIRO, SEGURO E CRÉDITO RURAL

O cenário da macroeconomia mostra recessão com variação negativa no Produto Interno Bruto (PIB), baixa taxa SELIC e de inflação, mas alto desemprego.   Inserido neste contexto, o Plano Agrícola e Pecuário (PAP) da Safra 2020/21 vigorará pela quarta temporada consecutiva no regime da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que fixa o teto dos gastos públicos.

Nos aportes de recursos governamentais no crédito rural subsidiado o Programa de Subvenção do Seguro Rural (PSR) é uma das prioridades. A alternativa da captação de dinheiro no mercado de capitais ganhou potencialidade com a aprovação da Lei 13.986/2020, conhecida como MP do Agro. O problema está no risco dos agentes financeiros com os pedidos de recuperação judicial (RJ´s) por parte dos agricultores.

O AGRO E A NOVA DINÂMICA ECONÔMICA, SOCIAL E AMBIENTAL

Novas tendências surgem na produção, comercialização e consumo de alimentos saudáveis, com a valorização de mercados nas origens da produção, o e-commerce, as tecnologias de rastreabilidade, as entregas customizadas e a maior afinidade entre produtores e consumidores. Enquanto a conectividade e a digitalização do campo trarão velocidade nessa marcha, as cadeias produtivas do agro nacional precisarão dessa convicção.

Conhecer esse processo ajudará descommoditizar e fortalecer a imagem dos produtos brasileiros mediante campanhas publicitárias. Os embates centrarão muito em questões como desmatamento ilegal na Amazônia, casos de zoonoses e uso de combustíveis com menor emissão de gás carbônico, como a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBIO). É um caminho cercado de desafios, assim como a capacidade de superação mostrada pelo nosso agronegócio nas últimas décadas.

Programação

03 de agosto de 2020
09h00 – Início da Transmissão – ABERTURA E PRONUNCIAMENTO AUTORIDADES

Marcello Brito, Presidente do Conselho Diretor da Abag
Tarcisio Gomes de Freitas, Ministro da Infraestrutura
Tereza Cristina, Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

09h30 – Intervalo
09h45 – Painel 1 – O AGRO BRASILEIRO E A CRISE GLOBAL
Depoimento:
Marcos Galvão, Embaixador do Brasil junto à União Europeia
Debatedores:
Grazielle Parenti, Presidente do Conselho Diretor da Ass. Bras. da Indústria de Alimentos – ABIA
Márcio Lopes de Freitas, Presidente do Sistema OCB
Paulo Sousa, Presidente da Cargill no Brasil
Moderador:
William Waack, Jornalista
10h40 – Intervalo
11h00 – Painel 2 – MERCADO FINANCEIRO, SEGURO E CRÉDITO RURAL

Depoimento:
Roberto Campos Neto, Presidente do Banco Central do Brasil 
Debatedores:
Fabiana Alves, Diretora Executiva do Rabobank Brasil
Fábio Zenaro, Diretor de Produtos Balcão, Commodities e Novos Negócios da B3
Ivandré Montiel da Silva, CEO da BrasilSeg (a confirmar)
Moderador:
William Waack, Jornalista

12h00 – Intervalo
12h15 – Painel 3 – O AGRO E A NOVA DINÂMICA ECONÔMICA, SOCIAL E AMBIENTAL

Depoimento:
Celso Luiz Moretti, Presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA
Debatedores:
André Guimarães, Diretor Executivo do Instituto de Pesq. Ambiental da Amazônia IPAM / Coalizão Brasil
José Roberto Mendonça de Barros, Sócio Diretor da MB Associados
Luiz Felipe Pondé, Filósofo e colunista da Folha de São Paulo
Moderador:
William Waack, Jornalista

13h15 – Encerramento

Roberto Rodrigues, Coordenador do GVAgro da Fundação Getúlio Vargas 
Marcello Brito
, Presidente do Conselho Diretor da Abag

13h30 – Término da transmissão

Programação sujeita a alteração


Palestrantes

A inscrição para assistir ao CBA 2020 ONLINE é gratuita. O evento será transmitido pelo www.abag.com.br e também pelas nossas redes sociais. Faça sua inscrição para receber informações sobre o evento, notícias da ABAG e também os Anais do Congresso Brasileiro do Agronegócio.

Patrocinar

Participar do CBA como patrocinador é uma grande oportunidade de se relacionar com profissionais, especialistas e autoridades do agronegócio. Um espaço importante para a divulgação da sua empresa no maior evento do Agronegócio Nacional.

Informações sobre Patrocínios:

Cel. (55 11) 99500-2999
silvia@wenter.com.br 

Imprensa

  Informações para Imprensa contatar:

Mecânica de Comunicação
Sylvia Mie
sylvia@meccanica.com.br
Tel (55 11) 3259-6688
Cel (55 11) 99285-1604

Patrocinadores

Patrocínio Master

Patrocínio 

Apoio de mídia

Apoio de mídia social

Data e Horário

03/08/2020
das 9 às 13:30 hs

ORGANIZAÇÃO

REALIZAÇÃO

André Guimarães

Diretor Executivo do Instituto de Pesq. Ambiental da Amazônia IPAM / Coalizão Brasil

André Guimarães se formou em agronomia pela Universidade de Brasília (UnB) e tem mestrado em economia agrícola pela Universidade Cornell, EUA.

Ele começou sua carreira no Imazon (Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia), onde atuou como pesquisador sênior (1992-1993) e Diretor Executivo (1994-1995).

Como Gerente de Projetos do Banco Mundial (1997-2000), trabalhou no Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7) e como Executivo do Fundo Protótipo de Carbono (PCF).

Entre 2000 e 2002, foi diretor da A2R Fundos Ambientais, uma empresa do mercado financeiro, onde desenvolveu o Fundo de Capital de Risco Clean Tech - CTF.

Entre 2002 e 2009, ele estruturou e dirigiu o Instituto BioAtlântica (IBio), uma ONG formada por uma parceria entre corporações brasileiras (Petrobras, Aracruz, Furnas, Veracel, Dupont, dentre outras) e ONGs ambientais internacionais (CI e TnC).

Mais recentemente (2009-2011) atuou como CEO da empresa Brasil Florestas, uma empresa focada em conservação e restauração de florestas. Entre 2012 e 2015 trabalhou na Conservação Internacional, inicialmente como Vice-presidente para o Brasil (2012-2014) e depois como Vice-presidente de Desenvolvimento da Divisão Américas (2014-2015).

Atualmente é o Diretor Executivo do IPAM-Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia e Co Facilitador da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura.

Celso Luiz Moretti

Presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA

Celso Luiz Moretti é engenheiro agrônomo, mestre e doutor em produção vegetal e especialista em engenharia de produção com ênfase em gestão empresarial, Moretti é pesquisador da Embrapa há 24 anos, tendo dedicado os últimos dez anos à gestão pública. Foi Chefe Geral da Embrapa Hortaliças (2008 a 2013), Chefe do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (2013 a 2017), Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento (2017 a 2019), tendo assumido interinamente a Presidência da Embrapa em 17 de julho de 2019.   

É alumni (2016) da Harvard School of Government, Harvard University (Cambridge, EUA). Foi bolsista em produtividade científica do CNPq de 1999 a 2017. É professor convidado da University of Florida (Gainesville, EUA) desde 2006, professor honorário da Universidad Nacional del Santa (Peru) desde 2010 e foi orientador de estudantes de mestrado e doutorado da Universidade de Brasília (UnB) de 2003 a 2017. 

Autor de capítulos de livros, editor de livros técnicos e autor e coautor de dezenas trabalhos técnico-científicos em periódicos nacionais e internacionais, Moretti possui ampla experiência internacional tendo apresentado trabalhos científicos, atuado como consultor e proferido palestras, seminários e conferências em mais de 30 países.

Fabiana Alves

Diretora Executiva do Rabobank Brasil

Fabiana Alves é Diretora do Wholesale Banking do Rabobank Brasil, área que atende empresas do agronegócio e do setor alimentício. Antes de assumir a posição era Diretora do Rural Banking.

A executiva acumula experiência em produção agrícola e indústria de alimentos. Juntou-se ao Rabobank em 2008, onde já atuou como Gerente Executiva da divisão Rural e gerenciou a área de consultoria rural com foco em governança, gestão e planejamento estratégico.

Fabiana Alves é formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa, é pós-graduada em Administração de Empresas pela FGV – SP e possui MBA com foco em desenvolvimento organizacional e finanças pela Universidade da Califórnia, dos Estados Unidos.

Fabio Zenaro

Diretor de Produtos Balcão, Commodities e Novos Negócios da B3

Fábio Zenaro é formado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e obtém duas especializações sendo essas, em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Negócios Internacionais pela State University of New York além de Mestrado em Economia pelo Instituto de Ensino Superior e Pesquisa em São Paulo (INSPER). 

Fábio Zenaro hoje é Diretor de Produtos Balcão, Commodities e de Novos Negócios da B3 além de ministrar aulas no INSPER, ele acumula mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro e previamente trabalhou em instituições como BankBoston, HSBC, Banco Santander, Itaú Unibanco e Cetip.

Grazielle Parenti

Presidente do Conselho Diretor da Associação Bras. da Indústria de Alimentos - ABIA

Grazielle Parenti com 25 anos de experiência em Relações Institucionais e Governamentais.

É formada em Administração de Empresas pela GV e possui MBA com ênfase em Marketing na FIA/USP e pós-graduação em Políticas Públicas na FGV.

Diretora Global de Relações Institucionais da BRF, lidera um time multidisciplinar e multicultural em todos os principais mercados – incluindo Ásia, Oriente Médio, Europa, África e Ásia Menor – e é também diretora administrativa do Instituto BRF.

Grazielle é membro do Conselho da ABA (Associação Brasileira de Anunciantes) e da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) e a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente do Conselho Diretor da ABIA.

José Roberto Mendonça de Barros

José Roberto Mendonça de Barros, Economista, com Doutorado em Economia pela Universidade de São Paulo e Pós-Doutorado no Economic Growth Center, Yale University, USA.

Atualmente é membro do Conselho Consultivo da Usinas Itamarati, do Scotiabank e da Associação Sociedade de Cultura Artística, Diretor Presidente da Fundação Adib Jatene, Articulista do O Estado de São Paulo e Colunista da Rádio BandNews FM.

Em 2019, recebeu o prêmio Ney Bittencourt de Araújo – Personalidade do Agronegócio. Participou de vários Conselhos de Administração e Consultivo, tais como FEBRABAN, BM&F BOVESPA, Frigorífico Minerva, Banco Santander (Brasil), Grupo O Estado de São Paulo, Tecnisa e Pão de Açúcar. Desenvolveu e estruturou o Projeto do Novo Mercado para a BOVESPA. De 2001 a 2005 foi Membro do Comitê Estratégico da Companhia Vale do Rio Doce. Em 1998 recebeu o prêmio “Economista do

Ano”. De 1995 a 1998 foi Secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda. De 1967 a 2002 foi Professor de Economia na Universidade de São Paulo. Em 1978 fundou a MB Associados, empresa de consultoria econômica que atende aproximadamente 50 das maiores empresas e instituições financeiras brasileiras, especialmente no setor de agronegócio. O último livro publicado foi “Crescer não é fácil”, em 2012

Luiz Felipe Pondé

Filósofo e colunista da Folha de São Paulo

Luiz Felipe Pondé é filósofo, escritor, diretor do laboratório de política comportamento e mídia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP e professor da Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP e colunista da Folha de S Paulo.

Márcio Lopes de Freitas

Presidente do Sistema OCB

Agropecuarista e cooperativista há mais de 20 anos, Márcio Lopes de Freitas, 61 anos, é natural de Patrocínio Paulista, interior de São Paulo (SP).

A paixão pela agricultura e pelo cooperativismo vem de família. A primeira está concretizada em uma propriedade localizada na região de sua cidade natal, onde cultiva café, produção de olerícolas orgânicas, além da criação de gado. Freitas é graduado em Administração pela Universidade de Brasília (UnB).

Por acreditar e defender os valores e princípios do cooperativismo, Freitas buscou na atividade cooperada uma melhor alternativa de vida. Sua participação direta no cooperativismo teve início em 1994, nas diretorias da Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas (Cocapec) e da Cooperativa de Crédito Rural (Credicocapec), nas quais atuou como presidente.

Sua contribuição para o desenvolvimento do cooperativismo teve continuidade na gestão frente à Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp), entre 1997 e 2001, e, finalmente, como representante máximo do setor, no exercício de presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), desde 2001 e também da Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop) desde 2005.

Marcos Galvão

Embaixador do Brasil junto à União Europeia

Marcos Galvão é, desde fevereiro de 2019, o embaixador do Brasil junto à União Europeia, em Bruxelas. Antes de assumir o posto atual, foi secretário-geral do Itamaraty, embaixador junto à Organização Mundial do Comércio, em Genebra, e embaixador no Japão. Servira também, ao longo de sua carreira, em Washington, Londres e Assunção.

Ocupou ainda diversas posições no Ministério das Relações Exteriores e outros órgãos do Governo Federal. No Instituto Rio Branco, onde se formam os nossos diplomatas, foi professor de Política Externa Brasileira e de Linguagem Diplomática.

Marcello Brito

Presidente do Conselho Diretor da Abag

Marcello Brito, é formado em Engenharia de Alimentos pela UNIFEB de Barretos - SP.

Possui especializações em Responsabilidade Social e o terceiro setor pela Fundação Instituto de Administração, MBA em Comércio Internacional pela FIA/USP e mestrado em Estratégica de Administração, Ciência e Gestão do Comércio Internacional pelo Instituto de Administração e Economia da Universidade Pierre Mendes em Grenoble – França, entre diversos outros cursos e especializações em âmbito nacional e internacional.

Atua no setor de óleos vegetais há mais de 30 anos, tendo atuado por 27 anos como Diretor Executivo da Agropalma e em 2019 assumiu o cargo de Presidente do Conselho Diretor da ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio.

Paulo Sousa

Presidente da Cargill no Brasil

Paulo Sousa lidera a divisão de commodities agrícolas da Cargill na América do Sul desde 2016 e tem mais de 30 anos de experiência no agronegócio.

O executivo é graduado em Zootecnia pela Faculdade de Zootecnia de Uberaba (MG) , cursou Especialização para Graduados (CEAG) e Master Business Administration (MBA) pela Fundação Getulio Vargas. Paulo estudou gestão de negócios na Harvard Business School e INSEAD.

Paulo iniciou sua trajetória na Cargill como trainee em 1990 e atuou em diversas áreas da empresa, como Nutrição Animal e Processamento de Milho. Há mais de 20 anos, ocupa posições de liderança na área de comercialização e processamento de commodities agrícolas.

Paulo mudou-se para a World Trading Unit da Cargill, em Genebra, Suíça, como Trader Global de Soja. Na ocasião, participou ativamente das transformações do mercado internacional de soja, que levou a China a passar de exportador à importador de soja. Cinco anos depois retornou ao Brasil para liderar o estabelecimento da empresa nas novas fronteiras do Centro-Oeste e depois assumiu a gerência Nacional de Logística. Em 2010, assumiu a liderança das operações do setor de commodities e processamento de soja da Cargill no Brasil – o maior do mundo atrás apenas das operações nos Estados Unidos.

Em 2016, Paulo liderou a consolidação dos negócios agrícolas da Cargill na América do Sul, que englobam as operações de commodities e o processamento de soja e cana de açúcar. Hoje, este negócio possui mais de 170 localidades, com operações em 10 países e cerca de sete mil funcionários. Nos últimos 10 anos, participou nos investimentos de infraestrutura e transportes realizados pela Cargill.

Nos últimos anos, atuou no conselho de administração de diversas empresas ligadas à Cargill, com destaque à Alvean, joint venture da Cargill com a Copersucar, entre 2015 e 2017.

Esportista, participa de competições de automobilismo e foi duas vezes Campeão Brasileiro de Endurance, categoria P2 (2016-2018).

Roberto Campos Neto

Presidente do Banco Central do Brasil

Roberto de Oliveira Campos Neto é o Presidente do Banco Central do Brasil desde fevereiro de 2019, após nomeação do Presidente da República e aprovação do Senado Federal.

O Presidente recebeu seus diplomas de Bacharel e de Mestre em Economia pela Universidade da Califórnia e possui extensa experiência profissional, após 22 anos trabalhando em diversos cargos em instituições financeiras no Brasil e no exterior.

Ele consolidou sua carreira no Banco Santander, onde atuou por 20 anos em várias posições de liderança. Campos Neto é um entusiasta da tecnologia e inovação na área financeira. No Santander, ele iniciou um projeto global de inovação tecnológica e fez parte da iniciativa do “Banco Digital”.

Ele também se engajou em estudos sobre blockchain, ativos digitais, dentre outras inovações que ajudarão a formatar o mercado financeiro no futuro.

Roberto Rodrigues

Coordenador do GVAgro da FGV

Roberto Rodrigues é engenheiro agrônomo e agricultor, coordenador do Centro de Agronegócio da FGV, Embaixador Especial da FAO para as Cooperativas. Participa de inúmeros conselhos empresariais, institucionais e acadêmicos.

Foi Titular da Cátedra de Agronegócios da USP, foi professor do Departamento de Economia Rural da UNESP – Jaboticabal.Foi presidente do Conselho Superior do Agronegócio da FIESP - COSAG, da Organização das Cooperativas Brasileiras - OCB, da Sociedade Rural Brasileira – SRB, Associação Brasileira do Agronegócio - ABAG, da Academia Nacional de Agricultura da SNA e da Aliança Cooperativa Internacional - ACI.

Foi Secretário de Agricultura do Estado de São Pauto (1993/1994) e Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2003/2006).

Tarcísio Gomes de Freitas

Ministro da Infraestrutura

O Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas é Mestre em Engenharia de Transportes, Especialista em Gerenciamento de Projetos e Ciências Militares e Bacharel em Ciências Militares.

Foi Secretário de Coordenação de Projetos do Programa de Parcerias e Investimentos da Presidência da República, Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados, Diretor-Geral Substituto e Diretor-Executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, Coordenador-Geral de Auditoria da Área de Transportes e Assessor do Diretor de Auditoria de Área de Infraestrutura da Controladoria Geral da União - CGU, Chefe da Sessão Técnica da Companhia de Engenharia de Força e Paz e Engenheiro do Exército. 

Assessor do Diretor de Auditoria de Área de Infraestrutura da CGU, Chefe da Sessão Técnica da Companhia de Engenharia de Força e Paz e Engenheiro do Exército.

Tereza Cristina

Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias nasceu em Campo Grande (MS). É formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa (Minas Gerais). trabalhou em fazendas da família, até ser convidada para cargos de direção de empresas multinacionais, em São Paulo, onde conheceu melhor a raça Brangus, que acabou levando para desenvolver na região Centro-Oeste.

De volta ao estado, no fim da década de 1990, foi convidada para ocupar a segunda secretaria da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul).

Em 2006, assumiu o cargo de superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e, no final desse mesmo ano, foi convidada para comandar a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo do Governo do Estado Mato Grosso do Sul (Seprotur), ficando no cargo por sete anos.

Foi eleita como Deputada Federal em 2014 e reeleita em 2018.

Foi presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, maior grupo suprapartidário em defesa do agronegócio do Congresso Nacional.

William Waack

Jornalista (Moderador)

William Waack é formado em jornalismo pela Universidade de São Paulo (USP) e em Ciências Políticas e Sociologia e Comunicação na Universidade de Mainz, na Alemanha.

Fez mestrado em Relações Internacionais Também foi atleta membro da Seleção Brasileira de Handebol Masculino e atualmente apresenta o jornal da CNN, na CNN Brasil.

William possui quatro livros publicados e já venceu duas vezes o Prêmio Esso de Jornalismo pelos livros-reportagem que escreveu sobre a Guerra do Golfo, em 1991.

">